Conheça 5 robôs inspirados nos movimentos da natureza

O desenvolvimento dos Bionics é regido pelos mais modernos conceitos de produção, como Indústria 4.0, e pela mais moderna tecnologia em Inteligência Artificial. Estes demonstram como as unidades individuais podem reagir em diversas situações, coordenar-se ente si e atuar como um sistema em rede global.

Elas trabalham juntas, se comunicam e coordenam suas ações e movimentos. Cada uma das formigas toma decisões automaticamente e desempenha seu papel na resolução de uma tarefa. Esse comportamento cooperativo oferece abordagens interessantes para a chamada “fábrica do futuro”.


eMotionButterflies

A empresa uniu a construção ultraleve de insetos artificiais com voo coordenado em coletivo. As borboletas têm uma rota pré-programada que especifica os percursos de voo, caso alguma delas saia do trajeto já estabelecido, o sistema de câmeras mede a posição real de todos os objetos voadores 160 vezes por segundo e corrige o erro, fazendo com que a manobra da borboleta mude e todas voem em harmonia.

AquaPenguins

O pinguim possui um contorno hidrodinâmico. Sua elegante propulsão de asa, a cabeça e a cauda podem ser movidas em todas as direções, o que permite que o pinguim robótico faça manobras em condições espaciais apertadas e até nadar para trás, ao contrário de seus equivalentes biológicos. Os pinguins biônicos são concebidos como veículos subaquáticos autônomos que se orientam de forma independente e navegam através da bacia hidrográfica. Eles têm um sistema de sonar 3D, igual aos golfinhos, que permite a comunicação com o ambiente e com outros pinguins robóticos para evitar colisões.

BionicKangaroo

Ele conta com tecnologia de acionamento pneumático e elétrico com uma estrutura leve, segredo para a agilidade e estabilidade da máquina. A cinemática de salto estável, mais a tecnologia de controle preciso garantem estabilidade ao pular e pousar. Como um animal real, BionicKangaroo recupera energia ao saltar, armazenando-a para saltos subsequentes.

AqueJelly

A água viva desliza de maneira elegante e, aparentemente, sem esforço através da água. Isso é sustentado por tentáculos adaptativos, que são controlados por uma movimentação elétrica em seu corpo. A tecnologia integrada de comunicação e o sensor tecnológico em conjunto com os diagnósticos em tempo real permitem o comportamento coordenado e coletivo de várias águas-vivas, mesmo em um espaço ilimitado.

Share this post

Renê Fraga

é bacharel em administração de empresas e fundador da FragaNet Networks – empresa especializada em comunicação digital e mídias sociais. Em seu portfólio estão projetos como: Google Discovery, TechCult, AutoBlog e Arquivo UFO. Também foi colunista de tecnologia no TechTudo, da Globo.com.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta